Translate this!

domingo, 12 de dezembro de 2010

Ponto G: Casamento e união civil gay. Os bastidores de uma polêmica.



Quero iniciar meu post com uma simples citação DIRETA a todos.

“A primeira atitude digna de qualquer cidadão é concordar ou discordar sem medo do constrangimento do senso comum ou daquela atmosfera que rodeia quando se destoa do que a maioria faz e pensa. Melhor que esta etapa rudimentar da cidadania é ter a capacidade de justificar a decisão, a escolha ou a opinião.” Esse trecho é do professor Bruno Loureiro.

Casamento ou União civil? Um trocadilho de palavras e interpretações para pessoas cults ou uma armadilha para as ovelhas desgarradas. É baseado nesta armadilha que grupos de interesse, especificamente as Corporações evangélicas e lobista (é proibido fazer loby䌠no Brasil = tráfico de influência = CRIME = Igrejas) estão articulando-se nos bastidores da política interna brasileira para defender princípios morais. Uns caras de pau!! Tentam impor uma moralidade que não existe (Lembrando que existem igrejas e administradores dessas corporações envolvidas em escândalos de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e pedofilia. Não podemos esquecer que a Republica Federativa do Brasil é um Estado soberano, democrático e laico..... *LAICO.

Agora, é necessário definir o que é casamento e o que é União civil. O primeiro de acordo com o dicionário Aurélio é a manifestação de duas pessoas celebrada por um padre, na igreja ou qualquer ambiente adequado para um evento. Enquanto a união civil é a mesma coisa, com uma ÚNICA diferença, a presença de um juiz que validar juridicamente a união no ESTADO BRASILEIRO e o casamento religioso NÃO TEM VALOR JURIDICO. Ui.. Cheguei à ferida dos evangélicos de plantão, sim, os conservadores tem medo, pavor, desespero, sabem que o casamento religioso não tem valor para jurídico. Salvo, caso no dia do casamento esteja presente o Padre e o JUIZ no mesmo local e horário. No caso do CASAMENTO entre pessoas do mesmo sexo = Homossexual, basta a presença do Juiz e caso o casal deseje a presença de um representante de alguma religião, poderá convidá-lo.

Agora vocês podem perceber a brincadeira que foi realizada durante a campanha eleitoral de 2010, quando os evangélicos começaram a lançar flechas de fogo contra a comunidade gay, e nós, inteligentes, jogamos um balde de água fria neles. Venceu o estado LAICO. Alguns cidadãos livraram o Brasil do bando de Silas e CIA, estavam pronto para promover uma caçada implacável contra homossexuais, como já acontece em Uganda e vários países africanos e mulçumanos.

Só lembrando ou refrescando a memória de todos, aconteceu um debate escandaloso faltando alguns dias para a eleição entre Silas Malafaia (Mala sem alça) e Edir Macedo (Edy + cedo) Dono da UNIVERSAL e patrocinador direto do GRUPO RECORD DE COMUNICAÇÕES sobre a questão do aborto e sobre o casamento entre homossexuais. A/O Silas promoveu uma guerra de palavras contra a comunidade gls, tentou uma manobra de baixo nível, incentivando a HOMOFOBIA entre os membros da corporação evangélica, do outro lado, incrível, Edir declarou certa simpatia estratégica pelos homossexuais, até porque ele é um homem de negocio e entende que nós, somos um público ($$$$$$$$$$$) possivelmente bem – vindo a corporação evangélica UNIVERSAL.

Ortodoxos de um lado, heterodoxos do outro lado e nós no meio!

Já os bastidores da nossa palhaçada chamada Política têm outros atores e pretendo fazer uma rápida passagem, os católicos e protestantes ortodoxos são unânimes em condenar este tipo de relação. A CNBB (Conferência Nacional de Bispo do Brasil) trabalha declaradamente contra o projeto da Deputada Marta Suplicy, argumentando que a aprovação do projeto colocará em risco a família, que é considerado o mais importante instituto na organização da sociedade, colocando em risco até mesmo a própria civilização. Recentemente o Papa Bento XVI falou demais sobre o assunto e saiu mal na foto. Uma palhaçada!! Arregalem os olhos Jovens!

Outro fator envolvido nos bastidores é a Forças Armadas Brasileira, (Abra os armários, as gazelas estão na área). Veja o que o ex-ministro da Marinha, almirante Maximiliano da Fonseca, defendeu apaixonadamente, sua opinião: "Sou contra o casamento entre gays. Os Veados já estão com muito poder. Não é possível. Prefiro machões - como Sérgio Motta e Antônio Carlos Magalhães - do que certos veados". Nada a comentar.... estamos com muito poder e estamos atrapalhando a vida dessas pessoas, ah, somente um detalhe. Na marinha o índice de gays e lésbicas é extraordinário.

Do outro lado, todavia, existem religiosos heterodoxos que tratam a questão de modo diferente. É o caso do reverendo presbiteriano Roberto Gonzalez, que em junho do ano passado abraçou 14 homossexuais, durante a Conferência Mundial da International Gays and Lesbians Association, no Rio de Janeiro.

Recentemente o pastor Nehemias Marien, da Igreja Presbiteriana Bethesda de Copacabana, passou a celebrar casamentos homossexuais em seu templo e, eventualmente, em residências. Ele diz que o objetivo da sua Igreja é "destruir com marretadas toda a forma de preconceito, discriminação e intolerância, que pontificam na hipócrita moral religiosa." Alem dessa instituição religiosa, existe a Igreja Cristã contemporânea onde o público é GLS.

“Todavia, um recorte histórico na Grécia Antiga foi possível identificar momentos onde os homossexuais ganharam maior feição, pois além de representar aspectos religiosos e militares, os Gregos também atribuíam à homossexualidade características como a intelectualidade, estética corporal e ética comportamental, sendo considerada mais nobre do que o relacionamento heterossexual e os relacionamento homo visto como algo normal e bem visto pela sociedade.”

Na Idade Média, segundo alguns historiadores, a homossexualidade floresceu nos mosteiros e acampamentos militares. No período Renascentista, vários intelectuais da época como Miguel Ângelo e Francis Bacon cultivaram paixões homossexuais. Ou seja, existe um histórico favorável aos homossexuais, enquanto os evangélicos e católicos ortodoxos têm um passado confuso e com poucas passagens históricas. Até porque toda vez que religião e a política andaram junto, saiu somente MERDA. E no Brasil está sendo igual às corporações nos bastidores tentando a todo o custo barrar/ atrapalhar a execução de leis que não seja bem vista por esses grupo de interesse.

Pretendo no próximo post fazer uma ilustração dos personagens envolvidos. A favor, Contra e no meio da história, haverá grandes surpresas, algumas já deixei por aqui.

Infelizmente maioria da população brasileira não tem um senso critico, ou seja, é influenciado por palavras sujas usadas por homens pecadores, que tentam usar a palavra de Deus para justificar os atos de discriminação e preconceito. Até porque Deus não condena ninguém, o homem sim. Não estou criticando a Bíblia, considero um livro sagrado, respeito todas as manifestações corporais e sobrenaturais, seja no candomblé, no cristianismo, no budismo, no islã. E sim, pessoas que faz o usufruto da bíblia de forma despreparada e parcial.

Aproveitando o momento, será que a Bíblia nunca foi alterada no decorrer do tempo, são 2.000 mil anos de história? Ficar um questionamento pessoal para cada leitor fazer enquanto terminar a leitura..

Minha opinião segue a visão de alguns cientistas político: Igrejas devem ser eliminadas da vida política e do Estado. Complementando, a fé está dentro de cada pessoa e não precisar ir à Igreja mostrar suas manifestações corporais ou pagar taxas para garantir seu ingresso no céu. Coisas simples e elegantes: ser humilde, amar o próximo, com algumas restrições, neste caso, basta respeitar aquele ser próximo e está de bom tamanho.

Mas porque criticar as igrejas? Simples, a igreja é uma péssima ou trágica influência na política e na vida social pacifica. E detalhe, na idade média quem estava nos bastidores da Santa inquisição? A igreja católica e grupos evangélicos = fanáticos. Mas o que tem haver tudo isso com o tema proposto? Respondo que tem tudo e mais um pouco. Hoje as Corporações evangélicas tentam modificar a nossa constituição, criminalizar a HOMOSSEXUALIDADE a todo custo financeiro, mesmo que seja necessário banalizar o assunto e provocar ambigüidade de interpretação, com objetivo de confundir a mente das ovelhas.

Encerro pensando no livro “Ensaio sobre a cegueira”. Estamos cegos?

G. Machado


*Laico: O estado Laico é aquele que não possui uma religião oficial, mantendo-se neutro e imparcial no que se refere aos temas religiosos. Desta forma, no Estado laico, a princípio, todas as crenças são respeitadas. Não há perseguição religiosa.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

18 comentários:

Roger disse...

A diferença é somente a presença do Padre e do Juiz?
O texto esta carregado de provocações e questionamento, tanto que estou fazendo isso agora.
G. Machado, se cuida, se os evangelicos pegar esse texto... tá ferrado!!

Parabéns pelo texto, espero a próxima coluna.

Antonieta disse...

Menino!! você esta inspirado.
Estou com meus olhos bem aberto, fiquei bobinha com a diferença entre o casamento e a união, mas chocada com os bastidores e com direito a risos com a Marinha.

Muitissimo Parabéns!

Alan_Sp disse...

Brincadeira de mal gosto com nós cidadãos brasileiro.
Obrigado pela leitura e pelo questionamento.

Junior Healy disse...

Excelente texto!

DPNN disse...

Usando do direito de discordar com o qual você começou o texto (rs), acho que há um equívoco de conceito: Estado laico não é a mesma coisa que Estado ateu!!!!!!!! São coisas totalmente diferentes, mas às vezes as pessoas confundem. O Estado brasileiro é laico, ok, mas a sociedade ocidental é historicamente construída com base em preceitos cristãos. Seguimos o caledário cristão, feriados religiosos etc. A existência de regras baseadas na religião cristã é até natural, mesmo para um ateu como eu.

Entendo perfeitamente que uma religião seja contra a homossexualidade, e sinceramente não vejo problema nisso, nem na existência de religiões - e, como falei, sou ateu.

Sobre a questão casamento x união civil, não aceito de forma alguma essa história de chamar de "união civil" ou de "parceria civil". A lei brasileira fala sobre estado civil, né? Existe estado civil "unido"? ou "parceiro"? Não né, existe solteiro, casado, divorciado... Eu quero me casar, unido eu já estou faz 8 anos...kkk

É preciso um pouco de cuidado pra não combater o preconceito com mais preconceito.

Um abraço!

Junior Healy disse...

Excelente observação a do DPNN. Mas União civil é o termo que os nossos queridos governantes estão utilizando para tratar do casamento gay.

Espero que tão logo o termo seja retificado como ocorreu com a palavra homossexualismo passando para o termo homossexualidade.

Melissa disse...

Esse é um assunto que ainda vai render muito pano pra manga!
Eu adorei o texto.

G. Machado disse...

Nobres Leitores.

Obrigado pela opinião e observações no texto.

DPNN, voce chamou atenção para algo que eu já esperava de algum leitor atento: "É preciso um pouco de cuidado pra não combater o preconceito com mais preconceito".

Não tiro nenhuma letra, somente acrescento algumas, a intenção é apresentar alguns atores envolvido nos bastidores da política nacional sobre o casasamento /união civil gay no Brasil, entre eles os ortodoxos(cuidado com eles, rsrsr), forças armada e etc. O preConceito é sabatinado nas igrejas e tem alvo certo, nós! não - cristãos, pecadores, do mundo, eles sãos ET's, de qual mundo eles pertence?, nós da "Earth". Se o texto transpareceu alguma forma de PreConceito, peço desculpa aos leitores, fui ou tentei ser imparcial ao máximo no assunto, mas impossível quando nossa opinião aflora como uma rosa da YLS. Então declaro que não existe nenhuma intenção de promover algum desconforto social aos "evangélicos fundamentalista", mas provocar, pois o proximo post vou enfiar uma agulha extra fina da médula das Corporações evangélicas.

Já a questão do Estado laico, esta baseado no respeito a todas as manifestações religiosa no território brasileiro. Logo,na definições na literatura, o estado laico é analisado como a separação da religião e da política, lembro que seu questionamneto esta ligado ao Estado Ateu, onde não existe culto a nenhum tipo de Deus, Já os teologos e cientistas sociais, tem outra noção de Estado Laico e aceito por uma gama de institutições nacionais e internacionais,ou seja o estado Laico brasileiro respeita qualquer manifestação religiosa,inclusive a ateu, desde, que respeite o espaço territorial e o DIREITO dos demais cidadãos.

Somente para acrescentar, de acordo com IVES GANDRA DA SILVA MARTINS e ANTONIO CARLOS RODRIGUES DO AMARAL, autora base para questão.

"Para se evitarem “caminhos equivocados e com receitas destrutivas”, é indispensável que o Estado laico também dialogue com a ciência, que, quando busca a verdade e é conduzida com vistas à preservação da dignidade humana em plenitude, não contradiz verdades da fé".

Viva a diversidades de opiniões.

G. Machado

G. Machado disse...

Sobre a união civil ou casamento, é tudo uma questão de interpretação de texto, como coloquei no texto,O evento é para celebrar a união de duas pessoas, ou seja, VOCE pode providenciar seu casamento, procure um membro da sua religião( se quiser) e um juiz (esse é o principal)e seja feliz!

Fernanda disse...

É tudo casamento, Jabour precisa ver isso, quero ver mais alfinetada nas corporações evangélicas.
Eu entende tudo e tmb o feed back do colaborador.

Parabéns, muito legal!

Renato disse...

Vivemos no estado laico com fortes influência cristã, precisamos retirar da nossa política pessoas com intenções antidemocratica e isso incluem todos os setores da vida social e todos os individuos.

Parabéns pelo texto.

Abraços

Amapô disse...

...

Carla disse...

Parabéns pelo texto.
Um bom início e espero o próximo.

Afrodite disse...

Olha,arrasou com o texto!
palmas pra vc!
Beijo!

Aninha disse...

Aplausos!!
Parabéns..

Neto disse...

Putzz, caramba bhother, vc fuzilou alguem neste texto, os bastidores.. ufa!!

Fabiola disse...

Adorei o Ponto G
parabéns pelo texto.

Paula disse...

Parabéns

Postar um comentário

 
Powered by Blogger